Ano letivo com inicio atípico na rede estadual

No colégio Laranjeiras o acompanhamento dos alunos está sendo 90% com aulas online

Na rede estadual o ano letivo de 2021 iniciou na quinta-feira (18), com aulas de reforço pelo Aula Paraná. Até dia 26 de fevereiro as aulas fazem parte dos 200 dias letivos do calendário escolar e são de participação obrigatória dos estudantes.

No município o diretor do colégio Laranjeiras, Valter Rogerio Souza, relata como foi esse início de ano atípico e como está sendo a aceitação dos pais e alunos no volta as aulas. “Cerca de 30 a 40% dos pais assinaram o termo para que os alunos façam a aula presencial. Como a escola está seguindo um padrão máximo de 10 pessoas as aulas serão intercaladas com modelo híbrido. A preferência para a presença em sala é de alunos que moram no interior e não podem acompanhar de forma online’’.

Ele explica que o acompanhamento dos alunos está sendo 90% com aulas online. “Os outros 10% estão pegando as atividades impressas. Com o modelo híbrido, os alunos terão que se dedicar mais. Antes eram deixadas atividades e aulas gravadas e assim eles poderiam fazer em outro momento, agora as aulas são em tempo real e o aluno precisa assistir as cinco aulas durante o período de estudo’’.

Adaptações

Em virtude da pandemia muitas mudanças tiveram que acontecer e com isso a escola precisou fazer investimentos para que os alunos possam ter todo o aproveitamento possível dos estudos.

“Para esse novo modelo a escola teve que fazer várias adaptações, uma das mais importantes foi a internet que precisou ser alterada para uma de melhor qualidade, não tendo assim, o risco de cair durante as aulas. Foram adquiridos notebook’s e microfones de lapela para os professores transmitirem as aulas’’, relata o diretor.

Valter explica que do dia 18 ao dia 26 de fevereiro as aulas e atividades são passadas pela secretaria de educação e a partir do dia 1º de maio os professores começam a dar aulas. Neste primeiro momento professores e funcionários da escola estarão em treinamento.

Nos dias 22 e 23 as oficinas vão abordar as particularidades do modelo híbrido, uso dos equipamentos, ferramentas e dinâmica das aulas. Nos dias seguintes, será a vez dos estudantes visitarem as escolas.