CRAS de Laranjeiras cria projeto de conscientização contra o trabalho infantil

“O trabalho infantil cresceu a nível nacional e municipal. Por isso, neste mês, o nosso tema é: ‘Diga não ao trabalho infantil, trabalho, só se for escolar!’’, diz Janice

O Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) de Laranjeiras do Sul iniciou, no começo do ano, um projeto denominado “Resgatando Memórias” que visava criar meios para continuar acompanhando as famílias que atendem, mesmo em meio a pandemia de Covid-19.

“A preocupação acerca do crescimento dos conflitos e desavenças que isolamento provocou foi o que nos motivou a criar esse projeto, que tem como objetivo central trabalhar com o núcleo familiar”, afirmou Janice Couto, pedagoga e diretora do serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e do Centro da Juventude. 

Em encontros online, o Resgatando Memórias estimulava pais, tias, avós e amigos a contarem histórias para as crianças e adolescentes, explicando como a vida era no tempo deles. Contavam, por exemplo, como funcionava a luz, conhecida na época como lampião; como eram os artesanatos, os meios de comunicação, brincadeiras, brinquedos, danças, comidas típicas  e outras coisas.

Resgatando Memórias em junho

Baseando-se no Dia Internacional ao Combate do Trabalho Infantil, em 12 de junho, e, se atentando aos dados que apontam o aumento do trabalho infanto-juvenil durante a pandemia no Brasil, o Resgatando Memórias buscou focalizar em todo mês a necessidade de se combater todos os meios de violência contra a criança e adolescente.

“O trabalho infantil cresceu a nível nacional, mas também percebemos isso quando fazemos um recorte municipal. Observamos que um dos motivos da evasão escolar também está relacionado a exploração do trabalho. Por isso, neste mês, o nosso tema é: ‘Diga não ao trabalho infantil, trabalho, só se for escolar!’’, detalhou Janice. 

Nesse projeto o CRAS iniciou um teatro, tem gravado cenas e desenvolvido grupos de poesias e de desenhos, tanto no Serviço de Convivência da Criança e do Adolescente, quanto no Serviço de Convivência para o Idoso. O projeto incentiva os participantes a escrever e desenhar para concorrer em um concurso, que premiará o 1º, 2º e 3º lugar.                                                                                                            

“Os desenhos e as poesias são enviados no grupo do WhatsApp e também coletados nas visitas relâmpagos que fazemos com famílias que necessitam de acompanhamento prioritário, abrangendo também pessoas que não possuem celular”.

Os trabalhos realizados serão expostos nos estabelecimentos da região para despertar o interesse de toda comunidade. O Correio do Povo acompanhará o processo, o desenvolvimento do concurso até seu estágio final. Além disto, os poemas e desenhos serão avaliados pelo escritor de poesia, Sr. José, a rádio Campo Aberto e o Correio.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail