Doenças respiratórias e a umidade em excesso

Entenda os agravantes que podem provocar desde crises de espirro até dificuldade para respirar

Basta aquela virada no tempo para que as pessoas comecem a sentir alguns sintomas. Espirros, dor de garganta, tosse constante. O clima é um grande influenciador da saúde humana. O tempo seco, frio ou úmido de mais acabam por interferir no bem estar das pessoas.

Os problemas respiratórios em tempos de chuva são diversos. O excesso da chuva ou a ausência dela por vários dias seguidos é determinante para o aparecimento de problemas respiratórios na população.

Pessoas que sofrem de asma, rinite ou sinusite sentem imediatamente os efeitos dessas alterações no tempo. Em tempos de chuva, o número de infiltrações e alagamentos aumenta a umidade nas residências, formando pontos de mofo que acabam por intensificar os problemas respiratórios.

A enfermeira Juliana Carraro Boeira explica sobre a renite alérgica e asma e os principais sintomas de cada uma delas e o que devemos evitar para não desencadear crises.

Rinite alérgica

Rinite é a inflamação aguda ou crônica, infecciosa, alérgica ou irritativa da mucosa nasal, sendo os casos agudos, em sua maioria, causada por vírus, ao passo que os casos crônicos ou recidivantes são geralmente determinados pela rinite alérgica, induzida pela exposição a alérgenos.

A enfermeira explica que os sintomas mais comuns são a obstrução ou prurido nasal e espirros. Muitas vezes acompanham sintomas como prurido, hiperemia conjuntival e lacrimejamento. Nos casos crônicos, pode ocorrer muitas vezes perda do paladar e do olfato. “É preciso evitar ao máximo a exposição a agentes como mofo, fungos, pêlos de animais, pólen, produtos de limpeza, inseticidas, fumaça de cigarro e perfumes’’, diz.

Asma

É uma doença inflamatória crônica, caracterizada por hiperresponsividade das vias aéreas inferiores e por limitação variável ao fluxo aéreo, reversível espontaneamente ou com tratamento. É uma condição multifatorial determinada pela interação de fatores genéticos e ambientais.

Os fatores responsáveis pelo desencadeamento de uma crise asmática são conhecidos como “gatilhos’’, como por exemplo pólen e pêlos de animais.

Segundo Juliana, além dos já citados que também provocam a rinite, existem outros fatores que podem desencadear a asma, como: irritantes químicos e poluição ambiental, exercícios físicos vigorosos e remédios como anti-inflamatórios não esteroides, além de estresse emocional. Dessa forma, as orientações são evitá-los para não desencadear crises.