José Bauwels: o maior produtor de morangos de toda a Cantu

José Ademir Bauwels. Ele é referência quando se fala em produção de morango em toda a região. Em uma pequena chácara no bairro João Fernandes, atualmente ele cultiva mais de 20 mil pés da fruta de diferentes cultivares.

Seo José iniciou o cultivo há 5 anos. Antes disso, ele trabalhava como representante comercial. Ele conta que era um trabalho que o estressava e decidiu parar. Começou plantando verduras, mas como o mercado laranjeirense é muito vulnerável, e na opinião dele não valorizam os produtores locais, ele mudou para os morangos.

“No primeiro ano plantei 1,5 mil pés para começar. No segundo ano tinha duas estufas e um temporal destruiu tudo. Fui tocando. Hoje tenho cinco estufas com 20 mil pés plantados”, relata o produtor.

Ele afirma que a produção é boa, bem como o ramo. Porém, as intempéries climáticas, falta de água, temporais acabam atrapalhando. “Mas dá para sobreviver da produção de morangos”, diz.

Quanto as cultivares, ele revela que trabalha com três diferentes, sendo que uma delas é desenvolvida pela Universidade Federal da Fronteira Sul campus de Laranjeiras do Sul.

Produção

Seo José explica que para a produção é necessário fazer a estufa primeiramente. Depois constroem-se as bancadas, coloca-se as slabs, a irrigação, depois a muda e rega-se duas a três  vezes por dia. A adubação deve ser diária.

Nos meses com clima fresco, a produção é melhor, pois muito calor aborta a floração e faz o fruto amadurecer antes do tempo. “Nossa região é boa para o morango, pois temos mais clima fresco durante o ano”, aponta.

Seo José declara que sempre produziu bem, apesar de ter passado por problemas de saúde durante dois anos. “Já cheguei a colher cerca de 600 a 700 caixas por semana. Se tivéssemos produzindo 2 a 3 mil caixas por semana teríamos mercado, porque atendemos toda a região”, enfatiza.

Falta de valorização

No entanto, ele critica a postura dos compradores dos supermercados locais. “Não valorizam os produtores da cidade. Querem que os produtores locais vendam abaixo do preço dos vendedores de fora, sendo que comprando de quem produz aqui tem o produto diariamente e fresco, e gerando ainda mais empregos”.

Isso levou seo José a abrir a Casa de Morangos, no centro da cidade. “Não conseguimos produzir o suficiente para atender a tanta demanda. Por isso também fizemos parceria com produtores de outros estados”, conta.

Seo José ainda relata que nada se perde na produção, pois as frutas que não estão bonitas para ser colocadas nas bandejas são vendidas em saquinhos de 100 gramas para produção de suco.