Grupo de indígenas pisoteiam homem morto para saquear carga

Quatro foram presos por furto qualificado após acidente na BR-277

Um acidente entre uma van e um caminhão deixou uma pessoa morta na tarde desta quarta-feira (11), em Nova Laranjeiras, na BR-277. A vítima que morreu era o motorista da van. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Médico-Legal (IML).
De acordo com a PRF, os dois veículos bateram de frente por volta das 16 horas, no km 473. No trecho fica a comunidade indígena Rio das Cobras que tem mais de 3 mil índios.  A pista precisou ser interditada nos dois sentidos. 


O saque
Apesar do grave acidente ter levado a vida de um trabalhador, o que mais impressionou e revoltou foram as imagens dos vídeos gravados pela PRF que circularam nos grupos de mensagem. Segundo muitos comentários nas redes sociais, o saque foi uma barbárie inaceitável.
As imagens mostram um grande grupo de índios quebrando os cadeados do caminhão, indo contra ordens expressas dos policiais que estavam presentes fazendo o atendimento do acidente. Após quebrarem os cadeados e atingirem um policial com uma pedra, saquearam a carga que era de peças automotivas, não se importando e até pisoteando o corpo sem vida do motorista da van que estava ao lado do caminhão.
Segundo relato dos próprios policiais, eles não conseguiram impedir o saque mesmo pedindo reforços, devido ao grande número de indígenas no local, muito superior ao número de policiais. 
“Alguns dos índios estavam completamente bêbados, alguém está vendendo bebida alcóolica pra eles o que é totalmente contra a lei. Outra coisa, se eles estão saqueando é porque tem um receptador, alguém compra esses produtos deles”, diz um dos policiais. 
Quatro indígenas foram presos e levados para a Delegacia de Polícia Civil de Laranjeiras do Sul e são acusados de furto qualificado. 


Recorrência
Segundo informações da PRF, essas situações de saques nesse trecho são bastante recorrentes tanto em casos de acidentes como em panes mecânicas que podem acontecer por ser um trecho de serra. 
“Há muitos relatos de motoristas que dizem sempre ter pedras e pedaços de  madeira no meio da rodovia nesse trecho. No final de outubro, ocorreu um acidente em que o caminhoneiro relata que havia uma pedra na pista, a qual estourou dois pneus do caminhão causando um acidente e a carga de óleo vegetal foi saqueada”, conta o policial.
Segundo dados da PRF, desde 2018 até o presente momento, são 26 ocorrências de saque (tentadas ou consumadas), no trecho da comunidade indígena do Rio das Cobras. 
Em 2012 a PRF chegou a montar um dossiê com fotos que comprovavam que índios da Aldeia Rio das Cobras estavam provocando acidentes na BR-277, esse dossiê foi entregue ao Ministério Público Federal (MPF). Segundo a PRF, eles colocariam objetos na estrada para provocar acidentes e em seguida aproveitar para saquear as cargas. O Ministério Público Federal realizou uma audiência pública com os índios. Eles negaram que tenham sido os responsáveis por acidentes da BR-277, mas reconheceram que saqueiam as cargas. Mas segundo o MPE não havia como comprovar  que índios são responsáveis por causar acidentes para saquear as cargas. 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail