Asma: uma doença sem cura, que possui tratamento

Um dos desafios para o controle da asma é o conhecimento da doença e a conscientização entre os profissionais de saúde

Na terça-feira (3), celebrou-se o dia mundial de combate à asma. Essa doença afeta cerca de 10% da população, e é responsável pela morte de aproximadamente duas mil pessoas a cada ano.

Causas

Por ser uma doença inflamatória crônica das vias respiratórias, pode ser causada por diversos fatores como ácaros da poeira, mofo, pólen, vírus, rinite, excesso de peso e predisposição genética.

A asma não tem cura, mas com tratamento específico pode reduzir os sintomas e ampliar a qualidade de vida dos pacientes. 

Porém segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, ainda existem muitas lacunas no cuidado da asma, como por exemplo o custo e acesso aos medicamentos.

“Um dos desafios para o controle da asma é o conhecimento da doença e a conscientização entre os profissionais de saúde, além da prescrição de inaladores e no monitoramento da adesão e capacidade de uso desses dispositivos”, dizem os especialistas.

Tratamento

O tratamento da asma é feito utilizando-se corticosteróides inalados, que atuam diretamente na inflamação dos brônquios, estruturas que ligam a traqueia aos pulmões. Esses medicamentos reduzem os sintomas e ajudam a prevenir as crises. 

“Durante as crises de asma, o uso de corticosteróide oral em doses recomendadas deverá ser utilizado com cautela e sob orientação médica. A falta de controle da doença pode resultar em crises graves e levar até à morte”, complementam.

De acordo com o ministério da Saúde, a asma pode desencadear uma série de complicações, como redução na capacidade de realizar atividades, insônia, alterações permanentes no funcionamento dos pulmões, tosse persistente, dificuldade para respirar, hospitalização e internação por ataques severos.

Diagnóstico

Considerando o histórico do paciente, os exames clínicos de diagnóstico procuram sinais como chiado, tórax exageradamente cheio de ar, presença de rinite alérgica e histórico familiar com doenças alérgicas e asma. Exames para alergia e provas de função respiratória também auxiliam nessa confirmação. “O diagnóstico de asma é clínico e os exames são realizados para excluir doenças que podem causar ou simular asma. Em questão de riscos, sempre depende da gravidade da doença, mas temos ainda com o aprimoramento do tratamento a mortalidade de cerca de quatro a cinco pessoas por dia no país com a doença”, finalizam.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail