Assiscop se compromete em lutar para manter a UTI do Instituto São José

O prefeito de Marquinho, Juninho, que é presidente da associação, disse que na próxima semana será agendada uma reunião com Beto Preto

Aconteceu na manhã de ontem (18) uma reunião entre as prefeituras que fazem parte da Associação Intermunicipal de Saúde do Centro-Oeste (Assiscop), Instituto São José (ISJ) e representantes do Hospital São Lucas. O motivo deste encontro foi a manutenção dos 10 leitos de UTI do ISJ, transformando-os em UTI geral.
No início da semana, o vice-presidente do Instituto, Alfredo Nogueira, fez uso da palavra na Câmara de Laranjeiras, para pedir ajuda às autoridades, pois sem o complemento para custeio, os leitos serão desativados no fim deste mês.

Complementação de valores

Elio Bolzon Jr (Juninho), presidente da Assiscop e prefeito de Marquinho, explicou ao Correio do Povo, que o ISJ apresentou o valor que falta para completar os gastos, pois para a UTI se tornar geral, os valores de manutenção mudam, e o Instituto não tem como bancar esse montante.
De acordo com Dr. Alfredo, os custos por leito representam, por dia, uma média de R$ 2 mil, enquanto o Ministério da Saúde repassa apenas R$ 600. O apelo da direção é, portanto, visando garantir a verba remanescente, R$ 1.600. “Existe a possibilidade de suporte Programa de Apoio e Qualificação de Hospitais Públicos e Filantrópicos do SUS Paraná (HospSUS). Para tanto, precisamos de apoio dos deputados estaduais. Aos deputados federais, pedimos que nos contemplem com verba de custeio. E temos a Associação Intermunicipal de Saúde do Centro-Oeste (Assiscop). Estamos falando de R$ 15 mil por mês por município da região, que pode garantir a continuidade dos trabalhos”, destacou.
Mesmo com os repasses do Ministério da Saúde, o São José ainda precisará de mais R$ 250 mil por mês.
“O Instituto documentará essa demanda, e em meados da próxima semana agendaremos uma reunião com o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, para termos a confirmação dos valores que serão repassados pelo ministério”, ressalta Juninho.

Luta dos municípios

A partir da reunião em Curitiba, os municípios que fazem parte da Assiscop: Laranjeiras, Nova Laranjeiras, Marquinho, Porto Barreiro, Rio Bonito do Iguaçu e Virmond, farão todos os esforços necessários para que a UTI não feche, complementando o valor que falta. “Foi uma luta para que trouxéssemos esses leitos, e não deixaremos eles fecharem”, conclui o presidente.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail