Juceli Balbinoti revela preocupação com surtos da Covid-19

Nos 20 primeiros dias de janeiro, o município registrou mais casos que em todo o ano passado. Secretária de Saúde planeja três alternativas para 2021

Secretária de Saúde de Nova Laranjeiras há um mês, Juceli Carmen Brugnerotto Balbinoti enfrenta o desafio de ditar os rumos do setor diante de um tenso momento. Afinal de contas, a pandemia da Covid-19 exige de toda a população esforço e adaptação da rotina. Exige ainda mais dos profissionais de saúde, que necessitam ser ágeis no tratamento dos casos e também orientar a população quanto ao que deve ou não ser feito para inibir o avanço do vírus.

Carreira

Aos 38 anos, Juceli é nutricionista, com especialização em nutrição clínica com ênfase em nutrição esportiva. Formada há 15 anos, já trabalhou nas três esferas da rede pública – municipal, estadual e federal. Atuou nas comunidades indígenas do Tocantins e no Paraná foi professora do ensino superior.

Elogios à antecessora

Ela comenta que assumiu uma secretaria organizada e preparada para trabalhar nas exigências do momento. “O ano passado foi diferente e os profissionais da Saúde foram pegos de surpresa, pois, apesar do conhecimento que temos, não temos a experiência necessária para tratar o problema. A Eroilda teve muito pulso e soube conduzir bem a secretaria naquele momento. A transição foi a melhor possível”, elogia.

Janeiro tenso

Juceli assumiu a pasta num momento de expectativa pela vacinação contra a Covid-19. No entanto, além do início da aplicação das primeiras doses, Nova Laranjeiras enfrentou um surto da doença. “Nos primeiros 20 dias, o número de casos superou todo o ano de 2020”, afirma a secretária.

Atuação na aldeia

Um dos núcleos do surto foi dentro da Aldeia Ingígena Rio das Cobras. E embora a saúde dos nativos esteja sob a supervisão do governo federal, foi necessário o apoio da estrutura local.

“Nós ajudamos na organização, no transporte, na medicação que não vem do governo, com exames. Fornecemos o atendimento dentro do ponto de Urgências. E precisávamos focar em reter o vírus”.

No entanto, ela alerta que o alto número de casos não ocorre exclusivamente na aldeia. “Isso está equilibrado! Reflexo de que o povo relaxou. Nosso município é pequeno, depende dos hospitais de outras cidades, que estão cheios. Isso preocupa”.

Deixando a desejar

Juceli lamenta e argumenta que a população nova-laranjeirense não tem contribuído da melhor forma no combate à Covid-19.  “As medidas de prevenção não estão sendo seguidas. No final do ano, a gente entende que foram inevitáveis as muitas visitas, o movimento intenso do comércio, muita gente saindo de casa ao mesmo tempo. O resultado foi o aumento no número de casos”.

Planos A, B e C

Para o decorrer do ano, Juceli trabalha com três planejamentos: um contando com a Covid-19 imersa na sociedade, outra com o novo coronavírus e a vacinação e outro com a “vida normal”.

“A secretaria está à disposição para trazer o melhor atendimento possível aos munícipes. Ela precisa compreender que o período de pandemia não acabou e que por isso estaremos trabalhando com alternativas. Com paciência, as coisas darão certo”, conclui.