Marquinho recebe o programa Poliniza Paraná

O programa tem como objetivo a criação de abelhas nativas sem ferrão em parques do estado

O governador Ratinho Junior lançou na quinta-feira (20) um programa para a instalação de colmeias de abelhas nativas sem ferrão nos parques urbanos do Estado.

A ação faz parte do Poliniza Paraná, desenvolvido pela Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), que tem como objetivo espalhar para 398 municípios os Jardins de Mel idealizados pela prefeitura de Curitiba, replicando o projeto que promove a criação de abelhas nativas sem ferrão, responsáveis pela polinização de cerca de 90% das plantas brasileiras. Até o momento, são 17 municípios com convênios de Parques Urbanos e Poliniza assinados, entre eles está a cidade de Marquinho como a primeira que receberá estes recursos na região da Cantu.

O prefeito de Marquinho Elio Bolzon Junior explicou que este projeto vem para somar com a revitalização do parque urbano e dos lagos de caminhada, “Já temos a empresa vencedora do processo licitatório e estamos aguardando a autorização para poder dar a ordem de serviço em fevereiro”.

O município aguarda a orientação e instrução da Sedest, para a alocação das abelhas.

O prefeito falou ainda da importância do governador Ratinho Junior levar este projetos para outros municípios do estado e disse sentir-se muito feliz por Marquinho ser o primeiro mu7nicípio da região. “Eu quero aqui mais uma vez deixar claro o nosso apoio e parabenizar o governador que vem atendendo e olhando pelos municípios pequenos e de interior”.

Objetivo

O foco é divulgar a implantação de colmeias como ferramenta de educação ambiental, mostrando a importância e os benefícios dos serviços ecossistêmicos prestados pelos insetos, além de reintroduzir polinizadores nativos em seus locais de origem, pois muitos se encontram ameaçados de extinção. O projeto surgiu de uma carta recebida de uma aluna do 3º ano da Escola Municipal Castro Alves, do município de São João, na região Sudoeste do Estado. A estudante estava desenvolvendo um projeto e fez um apelo para que a Sedest cuidasse das abelhas.

Primeiras colmeias implantadas

As primeiras colmeias foram implantadas no Chapéu Pensador, em Curitiba, como um piloto, mas futuramente serão implantadas em todas as áreas do projeto Parques Urbanos, também desenvolvido pela Sedest/IAT.

Investimento

O projeto terá investimento inicial de cerca de R$ 7 mil, com recursos da Sedest, para a instalação das caixas, placas e colmeia. Pela cooperação, a prefeitura ficará responsável pela manutenção, por meio de limpeza e conservação das caixas. Entre as espécies disponibilizadas no projeto para o Chapéu do Pensador, por exemplo, estão a Guaraipo, que está na lista de espécies ameaçadas de extinção; Jataí; Mandaçaia; Mirim e Manduri. O mel produzido pelas abelhas não será comercializado.

Quer ficar por dentro das novidades? Então nos acompanhe pelo Facebook | Twitter | YouTube | Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail