Como juntar seu e-commerce a suas redes sociais para gerar lucro

Com consumidores dispostos a novas experiências e empreendedores se reinventando, as lives commerces se tornaram tendência

O setor de e-commerce cresceu 75% desde o começo da pandemia, de acordo com levantamento da SpendingPulse. Com consumidores dispostos a novas experiências e empreendedores se reinventando para aumentar o número de usuários e as vendas, as lives commerces se tornaram tendência.

Houve um aumento de 70% nas transmissões virtuais desde o início da pandemia, conforme apontado pelo Business Insider. Só em 2021 o crescimento foi de 17%, segundo dados do Neotrust.

“A live commerce é uma estratégia que usa a interação proporcionada pelo streaming de lives para propiciar e alavancar vendas. Por meio desse ‘comércio ao vivo’, o vendedor promove produtos, serviços e todo o ecossistema de e-commerce”, explica Larissa Santana, vendedora de cosméticos e estudante de administração de Laranjeiras do Sul.

Da China para o mundo

Essa estratégia tem origem chinesa, mas se espalhou pelo mundo inteiro e no Brasil. Diante da quarentena e do isolamento, as marcas e a indústria precisaram se reinventar. “A grande vantagem dessa modalidade é a interação da transmissão ao vivo. Possibilita que vendedor e consumidor tenham uma maior proximidade, o que resulta em um maior engajamento e, consequentemente, maior conversão”, completa a estudante.

As marcas e os sites convidam vendedores treinados, influenciadores e blogueiros para chamarem atenção em torno dos produtos anunciados.
Franklin Bravos, CEO da Signa, startup que já profissionalizou mais de 500 e-commerces no Brasil elenca algumas dicas que podem ajudar os empreendedores a produzir uma live commerce com resultados. Confira abaixo:

Como vender produtos?

1-Conheça seu público-alvo: Esse tópico vai além de saber se o público tem o hábito de comprar online ou não. É preciso entender seus padrões de consumo de conteúdo, horários em que costuma comprar, com quais tipos de influenciadores ele mais se identifica, entre outros fatores. Por isso, estude a fundo a persona do seu negócio antes de planejar uma transmissão ao vivo.

2-Contrate apresentador ou influenciador: O conteúdo relevante e o carisma são elementos essenciais para que a transmissão atinja bons níveis de engajamento. Procurar por influenciadores que topem essa parceria faz toda a diferença. Mas não precisa pensar naqueles com milhões de seguidores. Pense em pessoas que farão seu público engajar e curtir o momento.

3-Planeje promoções e descontos: Para atrair mais pessoas, aproveite a transmissão para oferecer descontos, promoções e condições especiais para quem estiver assistindo ao vivo e fizer a compra por ali mesmo. Você conhece os gatilhos mentais (como os de urgência e escassez)? Use-os! Além de descontos, as lives também podem oferecer peças exclusivas e tirar dúvidas por meio do chat ou comentário.

4-Pense na estrutura pela frente e por trás das câmeras: Cenário, filmagem, iluminação, som e internet são itens básicos para garantir a qualidade da sua live. O ideal é ter uma pessoa ou até uma equipe responsável por essa parte estrutural.

Bom para quem vende e bom para quem compra

Além do aumento nas taxas de conversão e de vendas, a live commerce vem se mostrando uma tendência promissora para todo o ecossistema do e-commerce, já que, segundo levantamento da Wyzowl, 95% dos usuários assistem a um vídeo de explicação para entender melhor um produto ou serviço.
Por fim, esse modelo de venda faz com que o usuário passe mais tempo na página e isso pode gerar resultados como o aumento do ticket médio da compra. Também é uma forma de atrair novos consumidores para sua marca por meio desse conteúdo valioso.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail