Cuidados no transporte de animais domésticos

Transportar pets soltos no carro, além do risco de acidentes, pode resultar em multas e pontos na carteira de habilitação

Muitas pessoas consideram seus animais de estimação como membros da família e cada dia é mais comum encontrar os animais em passeios, viagens e atividades rotineiras.

A empresária Anessa Yamamoto adotou três filhotes da raça Dachshund e, conforme ela, já viajou pelo menos vinte vezes na companhia dos pets. Com as viagens a empresária adotou formas para transportes com segurança.

“Nós temos uma espécie de bolsa cama. Para viagens mais longas, sempre colocamos cinto de segurança especial para pet, que é preso na guia. Também sempre hidratamos eles, temos a garrafinha de água própria para o carro e levamos juntos petiscos” destaca Anessa.

 O Código Brasileiro de Trânsito (CTB) não proíbe o transporte de cães e gatos, desde que sejam tomados alguns cuidados de segurança. Transportar animais soltos no carro, além do risco de acidentes, pode resultar em multas e pontos na carteira de habilitação.

Além das caixas transportadoras, que são as mais recomendadas, outra sugestão pode ser investir em cadeirinhas transportadoras, que ficam presas no banco, garantindo a segurança e oferecendo conforto para o animal viajar com mais liberdade. Para pets de grande porte, é indicado o cinto de segurança fixo nos bancos traseiros e dianteiros. É normal que os animais sintam enjoos durante a viagem então o recomendado é não alimentar os animais pelo menos três horas antes da viagem.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail