Dicas para cuidar do seu animal de estimação no inverno

Qualquer animal, em qualquer idade, pode sofrer com o inverno. Os dias mais curtos, e as temperaturas mais baixas podem provocar mudanças em sua fisiologia

No dia 21 de junho, começa oficialmente o inverno, mas o frio já chegou em muitas partes do Brasil. Assim como um casaco não é o suficiente para nos aquecer, os pêlos podem não ser suficientes para manter o seu companheiro aquecido. No entanto, alguns cuidados com pets nessa época do ano podem garantir a saúde do seu amigo.
Qualquer animal, em qualquer idade, pode sofrer com o inverno. Os dias mais curtos, a menor quantidade de luz natural e as temperaturas mais baixas podem provocar mudanças em sua fisiologia.
Algumas raças como São Bernardo e Husky Siberiano, adaptam-se melhor ao inverno.
Mas existem alguns animais que podem ter o quadro agravado com o frio. Cães e gatos filhotes e idosos, podem estar mais suscetíveis a doenças também, como a gripe canina e a rinotraqueíte felina, por exemplo.

Gripe Canina

Os cães, assim como os humanos, também ficam gripados. Mas o vírus responsável por isso, o H3N8, é altamente contagioso apenas entre os animais.
A gripe canina pode ser transmitida por contato direto com animais infectados, através das secreções respiratórias e por contato com objetos contaminados, como brinquedos e vasilhas. Alguns animais não demonstram sintomas, mas cerca de 80% deles costumam manifestar tosse, coriza, espirros e até febre. Em pacientes com saúde mais frágil, a doença pode evoluir para uma pneumonia.
Por estes motivos, a vacina contra a gripe canina é um dos principais cuidados com pets no frio e não deve ser encarada como uma opção. Ela deve ser aplicada periodicamente. A versão injetável exige duas doses ao ano. Já a versão intranasal, apenas uma.

Rinotraqueíte Viral Felina


Essa doença é encontrada em felinos, e é provocada pelo Herpesvírus Felino Tipo 1, e não atinge humanos. A transmissão ocorre pelo contato com as secreções nasais e lacrimais, assim como pela saliva. Trata-se de uma doença respiratória altamente contagiosa entre os felinos. É caracterizada por espirros, perda de apetite, febre e inflamação nos olhos, com alguns casos de corrimentos nasais e oculares.
Na fase aguda, os sintomas são rinite, conjuntivite, úlceras de córnea, secreção nasal, tosse, lesões com crostas no nariz e na face, úlceras na boca, salivação, depressão e febre.
Por se tratar de uma virose, não há tratamento direto para a doença. A melhor forma de prevenção é através da vacina, que geralmente é aplicada entre 45 e 60 dias de vida. Além disso, outros cuidados com pets no frio envolvem evitar o contato de animais saudáveis com gatos contaminados ou sem diagnóstico.

Como cuidar de animais de estimação no inverno

Manter o animal aquecido é um dos principais cuidados com os animais de estimação no frio. Por isso, evite passeios no início da manhã e no fim de tarde ou à noite. Dê preferência aos horários mais quentes. Outras recomendações importantes são:

Casinha

Pets que moram em casinhas fora de casa merecem atenção especial. Se possível, posicione o abrigo em locais sem vento. Forre a casinha com material isolante e jornal, para que não molhe e permaneça aquecida. Adicione um cobertor a mais para o seu amigo e coloque uma cortina de plástico na portinha. Ele não vai reclamar.

Alimentação

Assim como nós, os animais também sentem mais fome no inverno. Trata-se de uma reação natural do organismo, que exige atenção. Claro que cada animal é único e possui necessidades particulares, mas a recomendação geral dos veterinários é aumentar em, no máximo, 20% a quantidade de comida para o pet no inverno.
É necessário, porém, ficar atento à forma física do seu companheiro. Com mais comida e menos atividade física, a tendência é engordar. E isso pode ser bastante prejudicial à saúde. Vale lembrar também que uma alimentação balanceada é fundamental.

Banho


Assim como a alimentação, o banho é um assunto bastante particular, que deve ser discutido com o veterinário. A recomendação é fazer a higiene do seu animal de estimação pelo menos uma vez por semana. Contudo, nos dias mais frios, essa periodicidade pode variar. Para isso, é preciso ter em mente que o banho não é o único cuidado de higiene que devemos tomar. Entre eles, trocar as cobertas, limpar a casinha e manter os potes de comida e água sempre higienizados.
Além da periodicidade dos banhos, fique atento também aos horários, dando preferência às horas mais quentes do dia. Use um secador de cabelo para evitar que o seu amigo fique molhado por muito tempo. Cuide também para não ferir a pele do animal com o calor.
O inverno é a época do ano em que registramos mais casos de otites. Seque bem o seu companheiro e evite sair com o seu cão ou gato para a rua logo após o banho.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail