“Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive atrás do tanque de uma moto!”

Moto clube Áster de Vênus, genuinamente laranjeirense, tem só mulheres no grupo. Elas entregaram de doces para crianças carentes em comemoração ao dia delas

O Moto Clube Áster de Vênus, composto apenas por mulheres moradoras de Laranjeiras do Sul realizou no último final de semana, a entrega de sacolinhas de doces para crianças de bairros carentes de Laranjeiras do Sul. Foram entregues 800 kits em diversos bairros.

A arrecadação e a entrega dos doces contou com as integrantes do moto clube e mais 12 pessoas, que dividiram-se em grupos pequenos e, tomando todos os  cuidados de prevenção ao coronavirus, como o uso de máscaras e luvas e respeitando o distanciamento, percorreram as ruas dos bairros fazendo a entrega às crianças.

“Muitas vezes entregávamos por cima do muro mesmo”, conta Fernanda Bonini, presidente do Moto Clube Áster de Vênus.

Arrecadação

A arrecadação dos doces foi feita entre amigos e pessoas mais próximas das integrantes. Cada um ajudou com um valor ou mesmo doando caixas de doces para a montagem das sacolinhas.

“O objetivo era distribuir 200 sacolinhas, e acabamos arrecadando doces para 800”, diz Anieli de Oliveira, tesoureira do moto clube.

Essa foi a primeira de muitas ações sociais planejadas pelo Áster de Vênus que agora se prepara para o Natal e tem por objetivo um alcance ainda maior. Dessa vez na arrecadação e distribuição de brinquedos para as crianças carentes da cidade.

As integrantes da diretoria do moto clube já tinham esse projeto de entrega de doces muito antes da criação da instituição, mas em escala menor.

“É muito gratificante ver o sorriso não só no rosto das crianças, mas dos pais também. Muitas crianças carentes recebiam doces de dia das crianças unicamente das creches e no momento em que vivemos, sem aulas, talvez essa sacolinha seja o único doce a que elas tenham acesso”, relata Ana Paula Rison, membro do conselho fiscal do moto clube.

 

Áster de Vênus

O moto clube Áster de Vênus é composto apenas por mulheres. Foi fundado em 20 de outubro de 2019 e oficialmente em 12 de março deste ano, mas o primeiro “rolê” oficial foi em 8 de março, Dia Internacional da Mulher.

Ele nasceu do sonho de quatro amigas que sempre tiveram um ideal de liberdade, de poder ir e vir, conhecer pessoas e lugares, sempre levantando a bandeira que homens e mulheres têm os mesmos direitos. As amigas nutriam vários amores em comum, como o estilo de música é claro o Rock roll, o desejo de viajar e participar de festas e eventos de motociclistas sempre embasados em um sentimento de irmandade. Elas sempre pensavam em como tornar real esse estilo de vida. E até então somente uma das amigas tinha moto.

Concretização

O início da ideia concreta de um moto clube só de mulheres, veio depois que Fernanda, uma das quatro amigas sofreu um acidente de carro, e após a recuperação comprou uma moto afim de vencer fobias de estresse traumático oriundas do acidente.

Visando dar apoio à recuperação de Fernanda, no período de dois meses as quatro estavam de moto, andando pela cidade com os planos de pegarem estrada. Contando com o apoio de amigos que fazem parte de um outro moto clube da cidade, a ideia de montar um moto clube só de mulheres foi ganhando forma e começou a se tornar realidade.

“Não sabíamos nada da parte burocrática, quais regras estabelecer, como convidaríamos e anexaríamos novas integrantes, a meta passou a ser nos organizar”, lembra Fernanda.

Hoje o Áster de Vênus tem sete membros, que é o número mínimo para um moto clube.  Todas as integrantes são mulheres .

“Algumas de nós não tem família na cidade, como no meu caso que sou apenas eu e meu filho, e também o caso da Fernanda que é só ela e o filho dela. Então o moto clube se tornou a nossa família”, conta Ana Paula.

Nome e brasão

Em 20 de outubro de 2019 as até então quatro integrantes decidiram achar um nome alto explicativo que deixasse claro em que é baseado o grupo que agora caminhava para se tornar a instituição moto clube.

“A ideia era encontrar uma flor ou uma estrela que significasse o que nos une, o que nos representa e o queremos levar não só às nossas integrantes, mas ao mundo. Tínhamos a pretensão de ajudar quem precisa e ser ainda participativas na sociedade em geral, sem discriminação de cor, raça e status social. Então surgiu o nome Áster de Vênus“, relata Fernanda.

Áster é uma flor, parecida com a margarida. Seu nome em latim e em grego significa estrela. Os ásteres eram flores sagradas de deuses gregos e romanos, com as quais se enfeitavam os altares. Na linguagem das flores, os ásteres simbolizam o amor, a lealdade, sabedoria, luz e poder;  para os chineses estas flores são o símbolo da Fidelidade.

E vênus a deusa grega do amor e da beleza. O planeta tem este nome provavelmente porque é o mais brilhante dos planetas .

No brasão tem-se os ásteres e também a caveira que é o principal símbolo dos motociclistas, que significa igualdade.

“Olhando a caveira, você não sabe se é homem ou mulher, se é rico ou pobre, branco ou preto, gordo ou magro”, explica Fernanda.

Objetivos

 “Somos um grupo de mulheres engajadas em vários grupos sociais, unidas pelo amor ao motociclismo, tentamos em nosso dia a dia viver da melhor forma possível, melhorando as condições de vida não só nossa, mas de todos que nos cercam. Assim almejamos criar um mundo melhor, que começa com cada indivíduo, seja homem, mulher ou criança que possa olhar os seres humanos como criaturas única e ao mesmo tempo como semelhantes, como cidadãos de direitos e deveres e acima de tudo pessoas com sentimentos, desejos e aspirações indiferentes de credo, raça, cor ou sexo.

Nós enquanto mulheres, motociclistas, profissionais, mães, esposas, namoradas, feministas  não buscamos privilégios mas sim igualdade entre todos, buscamos ocupar nosso papel nessa sociedade que muitas vezes não aceita, boicota e exclui.

Pretendemos uma vida onde todo indivíduo em especial a mulher pode e deve fazer e ser como quiser, ocupando as mais diversas áreas na sociedade em que vivemos e para tanto nosso lema é: Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive atrás do tanque de uma moto!”, completa Fernanda.