Paraná aposta na eletromobilidade como pilar de inovação e sustentabilidade

A Superintendência Geral de Inovação apresentou a frota de veículos elétricos que está à disposição do serviço público

Na última quarta-feria (1), gestores públicos se reuniram nas dependências do Palácio Iguaçu para discutir a promoção da eletromobilidade no Paraná. Na ocasião, a Superintendência Geral de Inovação apresentou a frota de veículos elétricos que está à disposição do serviço público. Vinculada à Casa Civil, a SGI vem atuando no incentivo à eletromobilidade, de questões de infraestrutura ao incentivo ao uso de automóveis movidos à energia limpa, que conferem maior eficiência e menor consumo em comparação com os modelos tradicionais à combustão.

Tornar essa tecnologia mais acessível ao paranaense tem sido tema de discussões constantes para o desenvolvimento de políticas públicas, na busca por soluções sustentáveis no trânsito. Elas passam por isenção do IPVA, aumento da eletrovia e parcerias, e tem como foco as metas da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU).

Em outubro de 2019, o governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou a lei que isentou os veículos elétricos do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que era de 3,5%.

Eletrovias

O Paraná é o Estado com a maior eletrovia do País, que corta as estradas de Leste a Oeste pela BR-277. São 730 km com 12 eletropostos que ligam o Porto de Paranaguá às Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu. Sob a gestão da Copel, o programa de inovação ampliou a eletromobilidade ao longo da BR-376 e da BR-101, em circuito que vai até perto de Londrina, no Norte do Paraná, e Joinville, em Santa Catarina, interligando os dois estados. Com a expansão do projeto, serão cinco novos postos de recarga disponíveis aos usuários de veículos elétricos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também já aprovou três projetos da Copel voltados ao fomento da mobilidade elétrica, que totalizam investimento de R$ 15,6 milhões. Os projetos serão executados ao longo dos próximos 36 meses e visam soluções tecnológicas para melhorar a gestão da eletrovia e a integração entre a concessionária que administra o trecho, eletropostos, proprietários de veículos elétricos e a indústria da mobilidade elétrica.

Outros projetos

Além das rodovias e da tributação, há outros projetos de eletromobilidade que envolvem o trânsito sustentável nas cidades. Está incubado no Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) o projeto Smart Energy, que tem como missão desenvolver as competências locais em energias renováveis e sensibilizar a sociedade para o uso consciente da produção de energia limpa.

O Tecpar também firmou parceria com a Renault para disponibilizar ao instituto a plataforma do Twizy, veículo elétrico produzido pela montadora. Com a plataforma e os dados abertos do protótipo disponibilizado pela montadora, pesquisadores do instituto podem desenvolver novos estudos para criarem modelos de veículos elétricos.

Em 2020 o Governo lançou o Projeto VEM PR, em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI e a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (PTI). A parceria trabalha no desenvolvimento de soluções tecnológicas em mobilidade, com o objetivo de diminuir o custo de operação e manutenção por veículo, taxa de utilização superior em relação aos tradicionais, diminuição da emissão de gases tóxicos, modelo de promoção do compartilhamento e ampliação do debate sobre políticas voltadas à mobilidade elétrica.

A “cultura elétrica” também é parte do Detranzinho de Curitiba, minicidade onde as crianças aprendem na prática como funciona o dia a dia no trânsito. O local simula, em uma escala menor, as áreas de trânsito de uma cidade, com vias, calçadas e sinalização. As crianças que participam do projeto trafegam de bicicletas e mini veículos elétricos, doados pela Renault, que podem ser abastecidos em pequenos eletropostos, instalados pela Copel.

Na Ilha do Mel, as equipes de eletricistas da Copel que fazem o atendimento aos consumidores contam com carrinhos elétricos. Eles facilitam o transporte de materiais para os serviços de manutenção nas redes de distribuição de energia e também o deslocamento dos profissionais, já que não há circulação de veículos a motor na ilha.

Na mesma esteira de modernização, foi instalado o Ecoposto, nas dependências do Palácio Iguaçu, o primeiro do Governo do Estado a ter geração de energia elétrica limpa e renovável a partir de uma fonte solar fotovoltaica.

Com capacidade para carregar dois carros ao mesmo tempo, a iniciativa diminuirá os gastos com carros do Estado, já que um veículo a combustão gasta em média R$ 0,66 por quilômetro rodado, enquanto um elétrico gasta em média R$ 0,11. Com a utilização do CARPORT, o custo baixa a praticamente zero porque o carregamento é realizado a partir de energia fotovoltaica. Além disso, o Estado também garantirá uma economia na estrutura do Palácio Iguaçu, pois quando os carros não estiverem sendo carregados, a energia produzida será devolvida à rede elétrica.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail