Virmond investe no incentivo à piscicultura

A prefeitura presta apoio desde a liberação junto ao Iap, subsídio de horas de máquina e acompanhamento técnico feito pelo engenheiro de aqüicultura

A produção de peixes vem crescendo muito a cada ano e é uma forma de diversificação de renda nas propriedades rurais, principalmente nas pequenas.

Visando o crescimento dessa atividade, e realizando um estudo na região, Virmond vem trabalhando com incentivo aos produtores, através do ‘Programa de Incentivo aos Produtores de Peixes’, que permite o auxílio aos produtores.

Segundo o secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Vilson Buskevicz, a prefeitura tem dado total apoio aos produtores. “Ajudamos com toda a parte legal que trata da liberação dos açudes junto ao Iap, depois damos subsídio de 10 horas de máquina da escavadeira hidráulica para a construção dos tanques e todo acompanhamento técnico”, diz o secretário.

Esse acompanhamento é feito pelo engenheiro de aqüicultura da prefeitura, Helton Bartoszik,

que realiza a avaliação junto aos produtores, para a realização da construção e acompanhamento do cultivo. “Vários produtores estão motivados com a produção para consumo e para a comercialização. Muitos estão tendo a oportunidade de produzir seu próprio peixe, tendo uma melhor qualidade de vida partindo da alimentação”, conta Helton.

Vilson afirma que o objetivo do incentivo é dar condições para que o agricultor continue no campo. “Com a diversificação da propriedade, há maior geração de renda, que é o que torna atrativo”, relata o secretário.

“Vários produtores estão motivados com a produção para consumo e para a comercialização”
Otimismo

O produtor Marcos José Demetrio, da linha Campo das crianças, está otimista com a atividade. Ele comenta que com o incentivo foi possível aumentar e melhorar a estrutura de tanques já existentes na propriedade, e também aproveitar a água disponível já que é uma atividade que requer uma quantidade razoável de água de qualidade. “Foram alojados cerca de 12 mil alevinos de tilápia nesse primeiro ciclo”, comenta o produtor.

Marcos acredita que se sairá bem como piscicultor, segundo ele, Helton orienta quanto ao manejo diário a ser realizado, como qualidade de água, manejo de alimentação, pesagem dos peixes e também nas contas avaliando a taxa de conversão de custo por kg de peixe. “Estamos animados com a criação de peixes pois é uma atividade que requer pouco tempo de trabalho, comparado a outras atividades. A piscicultura é um trabalho mais leve, baseado em manejo diário, alimentação, manejo de água dentre outras funções desempenhadas”, completa o produtor.

“Estamos animados com a criação de peixes pois é uma atividade que requer pouco tempo de trabalho”
O mercado está pra peixe

O comércio de peixe está em alta. Com a pandemia o consumo de pescado aumentou, devido ao preço competitivo com outras carnes. Agora no período da quaresma esse consumo aumenta ainda mais devido ao costume religioso. A procura por parte de consumidores e indústrias é grande, a produção não está conseguindo atender a demanda que o mercado está exigindo.

Segundo o engenheiro, mesmo com o preço de ração elevado, ainda é possível tirar uma boa renda com a atividade, tendo em vista a realização adequada de manejo juntamente com o acompanhamento técnico.

Em Virmond estão sendo realizadas feiras de peixes vivos, para incentivar e proporcionar uma proximidade entre produtores e consumidores.

“ Pretendemos trabalhar com a feira no período de quaresma e também além desse período, ofertando esse tipo de produto o ano todo”, completa Helton.

A secretária de Agricultura e Meio Ambiente, está realizando parcerias com indústrias de processamento de pescado para a comercialização da produção, e também atendendo pequenos pesque pagues, garantindo assim a comercialização e o fomento da atividade.

A prefeitura tem dado total apoio aos produtores

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail