Boletim agropecuário do Deral: como está o plantio de feijão, soja e milho?

Produtores paranaenses de feijão da safra das águas aceleraram o plantio

A ocorrência de chuvas no final de setembro possibilitou que produtores paranaenses de feijão da safra das águas acelerassem o plantio nesta semana. Esse é um dos assuntos abordados pelo Boletim da Conjuntura Agropecuária na semana de 4 a 9 de outubro. O documento, produzido por técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, também analisa a situação de outras culturas do Estado.

Chuvas

Depois de um longo período de forte estiagem em todo o Paraná, as chuvas retornaram nos últimos dias de setembro e possibilitaram que os produtores de feijão dessem continuidade ao plantio da safra das águas., Com condições mais favoráveis no solo, a área semeada que era de 35% até setembro, teve aumento significativo nesta primeira semana de outubro, alcançando 55%.

Para o produtor o preço da saca de feijão é favorável. Em setembro, o valor médio recebido foi de R$ 252,88 a saca de 60 quilos de feijão classe cores, um aumento de 31% em relação ao mês anterior. O feijão classe preto, por sua vez, rendeu 7% a mais para o agricultor, em comparação com agosto, chegando a R$ 240,13 a saca.

A estimativa é que o Estado tenha área produtiva de 148,9 mil hectares na safra, o que significa uma redução de 2% em relação ao ciclo anterior. Isso deve se refletir também na produção, estimada em torno de 300,6 mil toneladas, representando 5% a menos que no ano passado.

Na região de Laranjeiras a área plantada já alcançou os 90%. A área desse ano diminuiu em 10% em relação ao ano passado que teve recorde na produção alcançando 3.776 toneladas.

Para a safra desse ano a estimativa de produção é de 3.024 toneladas.

Milho

 Para o milho, as condições climáticas ainda não são as ideais, por isso o plantio da primeira safra 2020/21 está lento e esta semana fechou com 65% de uma área total de 360 mil hectares. Para a segunda safra, que tem previsão de início de semeadura em janeiro, há muita incerteza, em razão do atraso no plantio da soja provocado pela estiagem e, consequentemente, de sua colheita.

Na região de Laranjeiras diferente das demais, o plantio do milho foi antecipado, devido às chuvas de agosto. Alguns municípios inclusive já concluíram. Alguns municípios inclusive já concluíram. O aumento da área plantada foi de 10%.

Soja

Segundo o Deral, na safra 20/21 o plantio de soja deverá ocupar quase a totalidade da área agricultável do Paraná. Dos seis milhões de hectares agricultáveis no Estado 5,53 milhões de hectares serão ocupados pelo grão. Essa área será cerca de 1% maior em relação à que foi ocupada pela cultura no ano passado, o que demonstra que o plantio de soja é disparado a opção do produtor em busca de rentabilidade na propriedade. O acréscimo de área só não será maior porque não há mais terra agricultável no Estado. A produção esperada na safra 20/21 é de 20,4 milhões de toneladas, em torno de 1% inferior à produção da safra anterior que alcançou 20,66 milhões de toneladas, atingindo novo recorde de produção no Estado. Para essa estimativa foram considerados níveis de produtividade normais para a cultura.

A estimativa de produção de soja nessa safra para a região de Laranjeiras é de 511.125 toneladas, um pouco menor que a safra 19/20 que teve o recorde histórico de 543.311 toneladas.

 

 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail