Caixa Econômica aumenta juros do financiamento imobiliário

Esse aumento foi causado pela pandemia e levará algum tempo até se reajustar

A Caixa Econômica Federal avisou os agentes imobiliários que sua taxa de juros do crédito com recursos da poupança (SBPE) para financiar a compra de imóveis será elevada. A menor taxa, restrita aos clientes que têm relacionamento financeiro com o banco, vai passar dos atuais 8,3% ao ano para 8,7% anuais, sempre acrescida da TF, a partir do primeiro dia de fevereiro de 2022. A taxa de balcão (8,9%) não sofrerá alteração.
“Essa mudança na taxa de juros tornará os valores ofertados pela Caixa Econômica Federal mais próximos dos seus concorrentes do Setor Privado”, contextualiza Rafael Scodelario, especialista em aquisição de imóveis e CEO da CEO da Escodelar Inteligência Imobiliária.
“O Itaú Unibanco aplica a taxa de 9,1% ao ano, enquanto o Santander Brasil cobra a taxa de 9,99% ao ano, todas incluem TR”, informa Rafael Scodelario.
Para o professor de Economia da Universidade Federal da Fronteira Sul, Arami Pereira, esse aumento no setor imobiliário foi causado pela pandemia e levará algum tempo até se reajustar. “O aumento dos preços de modo geral foi afetado; seja em função da inadimplência, ou pela queda da demanda por lojas que fecharam e deixaram de ser alugadas/compradas”, explica.

Mudanças

A Caixa Econômica é uma das maiores financiadoras de empreendimentos imobiliários do Brasil devido suas condições de crédito atrativas. “Com a mudança, o comprador deve adotar ainda mais cuidado ao analisar qual será o banco financiador, já que dependendo da relação financeira que ele tem com outros bancos, pode ser que as condições finais sejam mais atrativas pelo financiamento privado”, alerta o especialista Rafael Scodelario.
Para o professor Arami, uma alteração que influenciou no aumento dos preços desse setor também está relacionada aos salários, que estão com níveis menores devido o aumento do desemprego no país. “Então todas essas dificuldades são atualizadas nos setores da economia, como na taxa de juros”, afirma.

Críticas

O Banco estatal foi criticado pela decisão. Em entrevista para o canal CNN Brasil no dia 13 de Janeiro, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães havia afirmado que não havia previsão de elevar as taxas de financiamento habitacional. “Nós não temos expectativa de aumento da taxa de juros”, alegou o presidente do banco estatal Pedro Guimarães.
Segundo relato de Guimarães, o banco usa os juros futuros de 8 anos para ajustar as taxas do crédito imobiliário, porque esta é a duração média dos financiamentos habitacionais. Disse ainda que essa taxa chegou a 12,5% em 2021, mas agora está ao redor de 11,5%. “Não esperamos ter novos aumentos porque a expectativa da taxa de juros futura até reduziu desde a nossa última conversa no banco”, disse.
Além disso, o presidente da Caixa disse que “mesmo com a taxa de juros Selic aumentando, nós já temos esse aumento na taxa de juros que aconteceu há 2 meses”.

Selic

A Selic está em 9,25% e deve continuar subindo devido à inflação. O Banco Central indicou que a taxa básica de juros pode chegar a 10,75% em neste mês. O mercado acredita que a Selic terminará 2022 em 11,75%.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail