Gasolina sobe 10% para os brasileiros nos primeiros meses de 2022

Atualmente encher o tanque do carro ficou R$ 30 mais caro, consequência de diversos motivos

O preço da gasolina comum subiu aproximadamente 10% para os brasileiros nos primeiros quatro meses do ano de 2022.

Dessa forma, o litro do combustível saltou de R$ 6,59  para R$ 7,28 no período entre 2 de janeiro e 30 de abril, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O resultado mostra que atualmente encher o tanque do carro no Brasil ficou R$ 30 mais caro, comparado ao início de 2022. Comparando um período de 12 meses, o valor mais que triplicou, para um carro popular que comporta 40 litros de gasolina por exemplo.

Aumento devido a guerra e pandemia

O pesquisador da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Joelson Sampaio explica que o aumento no custo da gasolina comum, no curto prazo, está relacionado com os impactos da guerra no leste europeu, entre Ucrânia e Rússia. Já referente aos últimos 12 meses, o economista aponta a pandemia de Covid-19 e a pressão inflacionária como principais “vilões” da alta no combustível.

“O custo do petróleo aumenta desde o início da pandemia, devido ao choque de oferta mundial. Isso fez com que o preço da commodity explodisse, prejudicando a economia de todos os países, principalmente aqueles mais dependentes do insumo, como é o caso do Brasil”, explicou Sampaio.

“E recentemente, quando a pandemia enfraqueceu, nós tivemos outra alta bem expressiva, causada pela guerra na Europa. A Rússia, que faz parte do confronto, é uma das maiores distribuidoras de petróleo no mundo, e o país sofreu muita sanção nas últimas semanas. Isso gera, novamente, um choque de oferta.”

Relação com salário mínimo

O economista da FGV ainda relacionou o valor necessário para encher o tanque do carro com o salário mínimo.

“Para quem depende do carro diariamente para o transporte, pesa bastante no orçamento mensal. Um tanque cheio representa quase um quarto do salário mínimo hoje em dia. E além disso tudo, em paralelo com a alta que já se concretizou, nós seguimos com uma inflação altíssima e a guerra acontecendo na Europa”, ressalta Joelson Sampaio.

Ele explica que os altos custos da gasolina têm relação com a paridade internacional do petróleo, com o nivelamento do preço do insumo no Brasil com a commodity no exterior. “Acho que o grosso desse aumento é explicado pelo aumento do preço internacional do petróleo e a política de paridade internacional da Petrobras, que sofre a volatilidade do dólar. Cruzando os dados, nós podemos perceber essa tendência”, finaliza.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail