31 dos 32 projetos inscritos foram aprovados em Laranjeiras

Os artistas foram classificados em três diferentes modalidades. Município foi uma das únicas que conseguiu fazer a gestão da verba

No início desta semana, a Comissão de Avaliação de Laranjeiras do Sul para destinação dos recursos provenientes da Lei Federal de Emergência Cultural Aldir Blanc estiveram reunidos para avaliar os projetos inscritos.
Os membros da comissão são: Joiceli dos Santos Fabricio (Jornalismo); Cristian Ricardo de Oliveira Castro Pazini (Instituições de Ensino Superior de Laranjeiras do Sul); Samanta Brand de Souza (Escolas do Ensino Fundamental e Médio) e Marina Araujo Nesi (secretaria de Educação).
Foram 32 projetos inscritos para três diferentes modalidades, e destes 31 foram aprovados,  sendo que sete foram no Credenciamento e Seleção de Projetos Culturais Aldir Blanc; 24 no Prêmio Ação Cultural Aldir Blanc; e um no Chamamento Público para Espaços Culturais e Artísticos.


Marco histórico
De acordo com o 1º secretário do Conselho de Cultura, é um marco histórico pra nós da Cultura, para o setor público, para a gestão pública, para a prefeitura, secretaria de Educação e todos do Conselho Municipal de Cultura e todos os outros órgãos envolvidos. “Pela primeira vez na história de Laranjeiras, nós tivemos editais pra cultura, que contemplem os artistas, empresas ligados ao setor, espaços físicos que envolvem a cadeia produtiva da área da cultura”, declara Mathias. 
Conforme ele, o Conselho de Cultura fez uma ampla divulgação para que os artistas tivessem acesso aos editais. “Foi um projeto inovador, por ser a primeira vez. O artista, por não ter emprego formal, tem grande dificuldade, principalmente na área de documentação, que em  outros segmentos são comuns. Então essa foi uma questão que a gente explicou para os envolvidos dentro dos editais, visando atingir a maior gama de profissionais da área cultura possível”, aponta.


Gestão da Lei
O secretário conta que foi desafiador fazer toda essa gestão da Lei Aldir Blanc e adianta que já existe um outro movimento para prorrogação da lei para 2021 correndo na Câmara dos Deputados. “Tentamos fazer essa gestão na nossa cidade da forma mais rápida possível, porque o tempo é curto e a lei prevê que fizéssemos e entregássemos todo o material até o final de 2020”, explica.
Ele lembra que Laranjeiras do Sul foi uma das únicas cidade da região que conseguiu fazer a gestão da verba vinda através da Lei Aldir Blanc.
Confira os projetos aprovados na página 7 desta edição.