Tecnologia que usa grafeno transforma máscaras descartadas em bateria

As máscaras são desinfetadas com ultrassom e depois mergulhadas em tinta de grafeno

Pesquisadores da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia MISIS da Rússia desenvolveram uma nova tecnologia capaz de carregar baterias econômicas a partir de resíduos médicos, como as máscaras de proteção contra o coronavírus SARS-CoV-2 e outras doenças.
De acordo com o diretor científico do projeto, Anvar Zakhidov, primeiro as máscaras são desinfetadas com ultrassom, depois mergulhadas em uma ‘tinta’ feita de grafeno, que satura a máscara. Em seguida, o material é prensado sob pressão e aquecido a 140°C até se tornarem pellets. Um separador que também usa o material e possui propriedades isolantes é colocado entre os dois eletrodos feitos do novo material e saturado com um eletrólito especial. Então, um invólucro protetor é criado a partir do material de embalagens de remédio (como paracetamol).

Outros materiais usados

Os cientistas já haviam tentado usar outros materiais para criar baterias, como casca de coco, casca de arroz, resíduos de jornais, resíduos de pneu de carro, entre outros. Contudo, as máscaras se mostraram um material mais fácil e barato, pois a saturação por grafeno é suficiente para torná-las únicas.
A tecnologia anterior usada pelos pesquisadores oferecia baterias com capacidade de até 10 watts-hora por 1 quilo, já a “bateria de máscaras” atinge até 98 watts-hora/quilo.

Máscaras e baterias

A energia gerada pelas máscaras pode ser usada em eletrodomésticos, relógios, lâmpadas, entre outros produtos. Felizmente, a equipe também planeja aplicar a tecnologia para o uso em carros elétricos, usinas solares e outras aplicações. Conforme revelado pela pesquisa, durante o primeiro grande momento da pandemia, as pessoas ao redor do mundo começaram a usar mais de 130 bilhões de máscaras todos os meses. Ou seja, novas toneladas de materiais descartáveis estão sendo transformados em lixo todos os meses, assim, a nova iniciativa também deve ajudar a diminuir a poluição da natureza.

  • Medicina aliada a tecnologia traz avanços no setor

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail