64,6% dos paranaenses irão presentear neste Dia dos Namorados

Apaixonados devem movimentar o comércio nesta semana segundo sondagem da Fecomércio PR e Sebrae Paraná

O clima de romance toma conta do comércio nesta semana. De acordo com sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) e pelo Sebrae Paraná, 64,6% dos paranaenses irão presentear neste Dia dos Namorados.

Esse é o melhor resultado da série histórica, iniciada em 2016. Depois de dois anos contendo os gastos por causa da pandemia, os casais voltam a comemorar a data. Em 2021, 58,1% dos paranaenses pretendiam comprar um presente para o parceiro(a) e em 2020 esse percentual foi de 50,9%. “A maior disposição de presentear no Dia dos Namorados deste ano reflete também o represamento das atividades sociais durante a pandemia. Com a crise sanitária em um momento mais brando, registrou-se este ano a maior intenção de compras de todo o histórico da pesquisa, mesmo com o aumento inflacionário no Brasil”, avalia o coordenador de Desenvolvimento Empresarial da Fecomércio PR, Rodrigo Schmidt.

Entre os 35,4% que não vão ou não sabem se vão presentear alguém no próximo dia 12 de junho, o principal motivo (64,8%) é por não ter namorado(a) ou companheiro(a). Outros 14,1% não comemoram a data e 13,3% não possuem condições financeiras para comprar presentes ou estão desempregados.

O dia é dos namorados, mas quem vai presentear mesmo são os casados. A maioria dos entrevistados que irão presentear possuem um status de relacionamento como casado(a), com 54,3%. Os que estão namorando correspondem a 25,6% da amostra e os que moram juntos somam 15,8%.

A intenção de presentear é maior entre os homens, entre os quais 75% planejam surpreender a parceira. Já entre as mulheres, 55,3% disseram que planejam comprar algo especial para sua cara metade.

Período das compras

As compras para o Dia dos Namorados vão ser concentradas nesta semana: 61,1% dos apaixonados compram o presente até uma semana antes da data e 17,1% fazem a compra no mesmo dia. Apenas 15% adquirem o presente de 8 a 15 antes e os que se antecipam ainda mais correspondem a 6,8%.

Valor do presente

O tíquete médio do presente diminuiu um pouco em relação ao ano passado, baixando de R$151,36 em 2021 para R$147,97 em 2022, devido ao menor poder de compra dos consumidores, causado principalmente pela alta da inflação e juros.

Na análise por gênero, verifica-se que os homens gastarão mais, com tíquete médio de R$162,21, ante R$130,48 entre as mulheres.

A maior parte dos entrevistados, 35,9%, gastará até R$ 100. Os que comprarão presentes na faixa de R$ 101 e R$ 150 somam 20,9%; entre R$ 151 e R$ 200 chegam a 24,8%; entre R$ 201 e R$ 300 são 12,8%, e os que vão, além do coração, abrir o bolso, gastando mais de R$ 300, correspondem a 5,6%.

A maioria dos paranaenses, 74,4%, faz pesquisa de preço antecipada e o principal meio utilizado é a internet, com 50,5% das respostas. Apenas 23,9% realizam consulta de valores de forma presencial.

Tipo de presente

Roupas, bolsas e calçados são a preferência ao presentear quem faz o coração bater mais forte, com 47,4% das citações. Um jantar romântico é a opção escolhida por 25,2% dos paranaenses ouvidos pela Fecomércio PR e pelo Sebrae PR. Os perfumes e cosméticos foram mencionados por 24,8%. Na sequência aparecem outros tipos de presentes, como valores em dinheiro para que a pessoa possa comprar o que quiser (13,7%), joias, bijuterias e acessórios (13,7%), flores (11,1%), viagem (8,5%), lembrancinhas e artesanato (7,7%), eletrônicos (6,8%), comidas e bebidas (6,8%), livros (6%) e eletrodomésticos e objetos de decoração (4,7%).

Já a preferência de quem vai receber o presente também são artigos de vestuário, com 38%, bem como perfumes e cosméticos (29,9%), ou um jantar a dois (21,4%).

De acordo com o coordenador estadual de mercado de varejo do Sebrae Paraná, Lucas Hahn, muitos setores do comércio varejista e serviços foram contemplados no retrato da pesquisa, mas qualquer segmento pode relacionar a data comemorativa com seu ramo de atividade. “Se uma empresa existe, é porque tem clientes que querem sanar suas dores. E atrair o parceiro para que a pessoa amada consiga solucionar algo que precise, sem dúvida, é um excelente presente. Portanto, é hora do empresário focar em estratégias que possam aumentar as vendas para essa e outras datas”, aconselha.


Local da compra

As lojas de shopping serão o local preferido pelos entrevistados neste ano, praticamente dobrando em relação ao ano passado: em 2022, 36,7% dos consumidores farão suas compras neste local ante 18,9% em 2021, provavelmente pela facilidade de escolha e a variedade de opções de presentes. Já o comércio de rua, que no ano passado era preferência, com 44,7%, somando lojas do centro e de bairro, caiu para 30,3% neste ano.

Formas de pagamento

O pagamento à vista será priorizado, com 26,7% das compras no cartão de débito e 24,4% em dinheiro. O uso do cartão de crédito caiu bastante em comparação com 2021: na modalidade parcelada, baixou de 32,4% para 22,2% este ano, e no vencimento saiu de 21,8% no ano passado para 14,9%.
Observa-se a volta da utilização do papel moeda (2022: 24,4% e 2021: 10,2%) e um crescimento considerável do pix (2022: 10,4% e 2021: 2,5%).

Decisão de compra

O principal fator considerado para a escolha do presente é a qualidade do produto, com 36,7% das menções. As promoções e preço baixo influenciam 19% e 10,9% dos consumidores, respectivamente. Já o atendimento do vendedor chega a motivar 11,8% das pessoas durante a compra.

Efeitos da pandemia

Os impactos causados pela pandemia na decisão de compra reduziram de 59,4% em 2021 para 35,4% este ano, mas continuam influenciando principalmente no valor do presente, com 43%.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail