Biblioteca Pública do Paraná encerra temporada de oficinas e espetáculos

Criada em 2020, a Cia da BPP é a primeira companhia profissional e permanente de teatro mantida por uma biblioteca pública no Brasil

A Companhia de Teatro da Biblioteca Pública do Paraná preparou uma programação especial durante o mês de agosto para marcar o encerramento de mais uma temporada de trabalhos. As atividades incluem oficinas gratuitas e a apresentação de um espetáculo transmitido no YouTube. Criada em 2020, a Cia da BPP é a primeira companhia profissional e permanente de teatro mantida por uma biblioteca pública no Brasil.

Além de desenvolver estudos sobre encenação e dramaturgia, o grupo busca a formação e a inclusão social do elenco, que conta com integrantes de diferentes perfis, incluindo pessoas em situação de vulnerabilidade. Para isso, mobiliza uma rede com mais de 50 parceiros, entre atores, diretores, dramaturgos e psicólogos que acompanham o elenco, escolhido a partir de um processo seletivo aberto à comunidade.

Concebidas e ministradas pelos integrantes da companhia, as oficinas “Articulações para sobreviver: composições e processos criativos” abordam a escrita, a performance e a encenação teatral. São cinco encontros, com 12 vagas disponíveis em cada turma. As aulas acontecem nos dias 13, 14, 15, 20 e 21, com inscrições de 6 a 20 de agosto pelo e-mail [email protected] No dia 21, o grupo apresenta o espetáculo Articulações para Sobreviver, preparado durante os últimos meses, no canal da Cia da BPP no YouTube.

“O trabalho é concentrado como um grande laboratório de dramaturgia e estudos para encenação teatral contemporânea”, explica o diretor, ator e dramaturgo Thiago Dominoni, criador do projeto. Além de trabalhar no campo da atuação, a companhia pesquisa direção, dramaturgia, elementos da encenação, mídias e tecnologias para a cena. Os encontros acontecem sempre às sextas e sábados.

As oficinas e o espetáculo são o resultado de mais de um ano de encontros do elenco – que se reuniu pela primeira vez durante a pandemia. “Para fazer teatro a distância foi necessário se aproximar de outros campos que envolvem o estudo do teatro: o posicionamento crítico diante do acontecimento atual, a ética e a sensibilidade”, afirma Dominoni.

Formação contínua

Além dos encontros semanais e do desenvolvimento dos projetos autorais, a Cia da BPP firmou uma série de parcerias voltadas para ações de formação. Periodicamente, o grupo recebe profissionais do teatro em seus laboratórios de dramaturgia. E em outubro de 2020, a companhia coorganizou três encontros online com a Cia de Teatro da UFPR, o Teatro da UTFPR (TUT) e referências nacionais da área para discutir a produção destes coletivos antes e durante o isolamento, com a particularidade comum de serem ligados à instituições públicas.

Outros parceiros da companhia são: Bruno Lops, Isabel Oliveira, Dalvinha Brandão, Edran Mariano, Cleber Pereira Borges, Ligia Oliveira, Jé Oliveira, Maurício Arruda Mendonça, Luciana Barone, Robson Rosseto, Nadja Naira, Sueli Araújo, Walter Lima Torres, Ismael Sheffler, Maria Shu, Rafael Lorran, Cia Brasileira de Teatro, Coletivo Negro de São Paulo, Companhia do Armazém, Palhaçxs Gourmet e Antropofocus. A rede de apoio psicológico conta com os profissionais Ana Carolina Krauss, Aline Pereira, Amanda Silvestre da Cruz, André Felipe Valin Vieira, Julia Vieira Alvarenga e Pedro Perússolo.