Resgatando Memórias conclui atividades de conscientização contra o trabalho infantil

Primeiro encontro presencial desde o início do projeto, encerramento foi realizado no Dia Nacional do Estuante e contou com diversificadas categorias de premiações

Por Thamiris Costa

O Resgatando Memórias, projeto criado pelo Centro de Referência Social (CRAS), concluiu ontem (11) um de seus trabalhos referente à conscientização contra a exploração infantil. Pensado para criar meios para continuar acompanhando as famílias que atendem, mesmo em meio a pandemia de Covid-19, o projeto vem, desde o início do ano, promovendo encontros onlines via GoogleMeet ou WhatsApp.

No primeiro mês de funcionamento, o objetivo era estimular pais, tias, avós e amigos a contarem histórias para as crianças e adolescentes, explicando como a vida era no tempo deles. Contavam, por exemplo, como funcionava a luz, conhecida na época como lampião; como eram os artesanatos, os meios de comunicação, comidas típicas  e outras coisas.

Diga não ao trabalho infantil. Trabalho, só se for escolar!

Já no mês de junho, o Resgatando Memórias iniciou um concurso baseado no Dia Internacional ao Combate do Trabalho Infantil, comemorado no dia 12. O intuito dele foi de incentivar os participantes do Serviço de Convivência da Criança e do Adolescente e do Serviço de Convivência para o Idoso a escreverem e desenharem para concorrer em uma competição

Para isso, as atividades se basearam no contexto brasileiro e consideraram dados que apontam o aumento do trabalho infanto-juvenil durante a pandemia. “Também percebemos o aumento do trabalho infantil quando fazemos um recorte municipal. Por isso, o nosso tema em junho foi: ‘Diga não ao trabalho infantil, trabalho, só se for escolar!’’, detalhou Janice Couto, pedagoga e diretora do serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e do Centro da Juventude.

Relembrando: ex-alunos contam suas histórias

Em julho, dando continuidade nas atividades de desenvolvimento de desenhos, poemas, vídeos e teatro, o Resgatando Memórias trouxe importantes depoimentos de ex-alunos que foram de alguma forma retirados do trabalho precoce e estimulados pelo PET aos estudos e ao desenvolvimento profissional qualificado.

Dentre os convidados, estiveram presentes o Vandoni Moro – hoje professor de artes e artista plástico -, e Ademilson Moraes – vereador de Laranjeiras do Sul. Os dois contaram em seus testemunhos que, devido a fatores que envolviam dificuldades financeiras, falta de acesso à educação e outros, precisaram trabalhar ainda enquanto crianças.

O concurso: conclusão do projeto

No Dia Nacional do Estudante, comemorado em 11 de agosto, o Resgatando Memórias encerrou as atividades voltadas ao trabalho infantil realizando o primeiro encontro presencial desde o início da pandemia. O evento contou com os jurados Delmar Pereira, presidente da Rotary Clube de Laranjeiras; Fabiana Fabrício, supervisora do jornal Correio do Povo; Maria Luiza, secretária de Educação; Valdoni Moro, professor de artes e o Sr. José de Paula, representando os idosos do CFV. 

Os participantes foram premiados em 1º, 2º e 3º conforme as categorias Adolescentes-Poesia – Janaina de Oliveira dos Santos, Sthefany Carolyne de lima e Barbara Gabrieli; Criança/Poesia – Yasmim Luana Nessa e Izabelly Pelarski; Adolescente-Desenho – Marcos Erondi, Anderson Velasco e Sthefany Carolyne; Criança-Desenho – Yasmin Luana, Kuan de Matos e Ana Carolina Veloso.

Além disso, dois alunos foram premiados como destaque no projeto: Sabrina Veloso e Erike Mateus Munhoz

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail