Os benefícios da graviola e como incluir essa fruta na sua alimentação diária

Se você tem o costume de comer frutas, seja em forma de sucos, vitaminas ou in natura, muito provavelmente já

Se você tem o costume de comer frutas, seja em forma de sucos, vitaminas ou in natura, muito provavelmente já deve ter ouvido falar na graviola. Também conhecida como jaca-de-pobre e jaca-do-pará, essa frutinha de casca verde-escura e polpa esbranquiçada é uma das mais saborosas e saudáveis que você vai encontrar por aí. Além de ser pouco calórica, ela é rica em vitaminas, cálcio, potássio, fibras e minerais importantes para a saúde.

A graviola é rica em vitaminas do complexo B e C, possui acetogeninas, antioxidantes que previnem o câncer, ajuda a regular a pressão arterial, além de ser fonte de cálcio e ajudar a prevenir a osteoporose.

Em casos de inflamações no organismo, a graviola também pode funcionar como uma espécie de anti-inflamatório natural. Isso porque a fruta possui substâncias que combatem gastrites, úlceras, amigdalites e outras diferentes inflamações pelo corpo. Se você adicionar abacaxi, ainda por cima, dá para criar um anti-inflamatório bem potente e mais saboroso.

Outra vantagem da fruta é que ela é rica em fibras solúveis, que ajudam a regular o intestino, evitando tanto a diarreia quanto a prisão de ventre. Além disso, esse nutriente ajuda a diminuir a velocidade da absorção da glicose, sendo, portanto, muito indicado para diabéticos por impedir os picos de açúcar no sangue. Outra vantagem das fibras é que elas dão saciedade, o que evita a compulsão alimentar.

Como consumir graviola

Para aproveitar todos os nutrientes da graviola, a melhor dica é consumi-la in natura, ou seja, da forma mais natural possível. Basta cortá-la em pedacinhos e ir comendo, fica ótimo no café da manhã. Além de sucos e chás, salada de frutas e no preparo de bolos e doces.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail