Série Bronze: treinador enfrenta ídolo da infância em Mangueirinha

Faz tempo que o futsal de Pato Branco produz ídolos. O hoje treinador Vando Ronsani fez parte da conquista da

Faz tempo que o futsal de Pato Branco produz ídolos. O hoje treinador Vando Ronsani fez parte da conquista da Série Ouro de 2006 pelo Atlético Patobranquense. Apesar de quando chegou ao clube já havia consagrado seu nome com os títulos pelo Cascavel, Vando arrebatou fãs. 

Um deles, é o atual técnico do Domingosoarense, Felipe Quadri, equipe que enfrenta no sábado (12) o Mangueirinha, de Vando, na abertura da Série Bronze.

Atualmente com 24 anos, Quadri era criança em 2006, mas lembra-se com riqueza de detalhes a admiração pelo então jogador. “O primeiro jogo de futsal que assisti foi do Atlético Patobranquense. O meu tio, que ia comigo ao ginásio, sempre pegava no pé do Vando. Uma vez, descobri que ele ia na loja da minha mãe e pedi que ela pegasse um autógrafo. Guardei-o por muito tempo”, conta. 

Certa vez, quando descobriu onde ficava o alojamento da equipe,  o garoto Felipe passou a dar plantões em frente ao local, na tentativa de travar algum contato com os atletas. “Às vezes eu ia lá, ficava quatro, cinco horas esperando alguém sair. Mas nunca apareceu ninguém. Só via os uniformes estendidos no varal (risos)”. 


Carreiras

Como técnico, Vando dirigiu o Mariópolis por quatro temporadas, conquistando um acesso à Série Prata. No ano passado, trabalhou no Coronel, ficando com a 3ª colocação da segundona. 

Já o jovem Felipe Quadri estreou no Paranaense em 2019, comandando o CAC, de Cantagalo. Foram seis jogos, com uma vitória, um empate e quatro derrotas. E apesar do confronto deste sábado marcar o primeiro enfrentamento à beira da quadra entre ídolo e fã, Ronsani e Quadri já trocaram experiências da carreira. 

Quando de uma crise no CAC, Quadri procurou o ídolo e pediu conselhos para a administrar a situação. “Passei por momento semelhante no Coronel e ele me procurou. Conversamos. Devido a alguns jogadores que, quando não são utilizados causam problemas, ele acabou saindo de Cantagalo. Mas ele tem um respaldo grande”, lembra Vando.


Cada um com seu estilo

Mesmo acompanhando a carreira de Vando, Felipe dispensa comparações e diz que não tem o mesmo estilo de dirigir uma equipe. “Somos diferentes. Ele já construiu seu estilo de trabalho e eu ainda estou moldando o meu. Gosto de intensidade nos treinos, de um jogo rápido e de jogadores com personalidade”. 

“O Felipe vem implantando formas de jogo das quais precisaremos ficar em alerta. Ele sabe levar sua equipe da melhor forma. É um ano difícil. Espero que o Felipe seja feliz nessa empreitada, mas não hoje. Que deixe para ser feliz em outros jogos (risos)”, ironiza Vando. 


Como chegam?

O Mangueirinha volta à Bronze após 13 anos. Junto com Vando, chegaram os jogadores experientes Tomada, Douglas Pato, Fio e Dieguinho. A expectativa por parte dos torcedores, é de briga pelo acesso.

A equipe de Coronel Domingos Soares vai para sua 2ª participação na terceirona. No ano passado, o clube não fez boa campanha e terminou em último entre 31 integrantes. 

O elenco do Domingosoarense é formado por atletas da região Sudoeste do estado, tendo como destaque o goleiro Ryan (ex-Palmas) e as jovens promessas Eric e Folha

“Não temos estrela no time, não temos orçamento alto e as pessoas não esperam muito de nós. Mas tenho certeza que iremos surpreender”, acredita Quadri.