Alunos do CEEP de Laranjeiras reivindicam a retirada do ensino à distância

“Pedimos por educação presencial e de qualidade, não uma televisão ofertando pouco conteúdo”, enfatiza Felipe, representante das turmas afetadas

Nas últimas semanas, professores e estudantes da rede pública estadual de ensino protestaram em diversas regiões do Estado para criticar os serviços prestados no modelo de aulas remotas contratado pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEED) para o ensino técnico.

Em Laranjeiras do Sul, os alunos dos 1º anos do Técnico de Desenvolvimento de Sistema e do Técnico em Agronegócio, do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) Profª Naiana Babaresco de Souza, firmaram o protesto seguindo o exemplo do CEEP Pedro Boaretto Neto, de Cascavel, em que os alunos exigem o cancelamento do Ensino à Distância (EAD).

Os alunos representantes dos cursos, Felipe e Yuri, contam que se sentem prejudicados com o modelo de ensino ofertado. “Pedimos por educação presencial e não uma televisão ofertando conteúdo”, enfatiza Felipe.
A reivindicação em Laranjeiras partiu diretamente da vontade dos alunos, que conforme Yuri, não se adaptaram à terceirização mediada pelo governo. “Ninguém presta atenção pois os monitores mal passam os links para assistirmos. Isso dificulta todos os lados, pois precisamos da educação de qualidade”.

Indignação

Conforme Felipe, o objetivo é acabar com o EAD para que os professores voltem à sala de aula. “Só nós sabemos o que passamos com as aulas remotas, já que na maioria dos horários, o tempo se torna vago, pois os professores não ministram aula direito”.

Como parte das aulas são realizadas de forma remota, Yuri ressalta que se continuar dessa maneira, nada impede que os alunos permaneçam em casa. “Viemos para a escola para interagir, tirar dúvidas e aprender com os professores, não ficar na frente de uma tela sem entender do que se trata. Esperamos que tudo caminhe para o fim disso”.

Expectativa

Os alunos acreditam que a comunidade irá interagir e apoiar a causa. “Seguiremos o exemplo do colégio de Cascavel, na busca pela alteração da situação. Não assistiremos as aulas e aguardaremos uma resposta que mude a causa”, afirma Felipe.

Yuri finaliza ressaltando a importância da união dos alunos em prol da educação de qualidade. “Se parar para pensar, uma formiga não levanta um pequeno tronco, mas unidas, obtêm sucesso. É por isso que estamos aqui e promovemos juntos essa reivindicação”.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail