UTI Covid do Instituto São José passa a ser UTI geral e prevê ampliação de 14 leitos na enfermaria SUS

Ampliações na UTI garantem atendimento de mais especialidades como Neurologista, Bucomaxilofacial, Ortopedista, Cardiologista

Nesta sexta-feira (1), ocorreu uma coletiva de imprensa com a diretora administrativa do Instituto São José, Marly Regina Maçaneiro e a enfermeira coordenadora da UTI, agora Geral, Hagatta Souza Batista.

O intuito foi de repassar a população de Laranjeiras do Sul e região informações sobre os atendimentos que a UTI do Instituto São José tem prestado a todos os municípios. Através do convênio da Associação Intermunicipal de Saúde do Centro do Paraná (Assiscop) que engloba 6 municípios da região, e que repassam recurso por paciente do município, cerca de R$ 1 por paciente por mês para o Instituto São José.

De acordo com a diretora, esses recursos auxiliam muito e a UTI também está na espera de recursos do Estado, oriundos da Portaria GM/MS nº 220, de 27 de janeiro de 2022, que transformou a UTI do Instituto São José, a partir de 1º de março, em UTI geral, repassando recurso para o custeio dos leitos de UTI. “Como o Instituto São José tem a gestão dos seus contratos pelo Estado, mais precisamente pela secretaria de estado da Saúde, estamos aguardando recursos para custeios dos leitos de UTI”.

Atendimentos da UTI

Os atendimentos na UTI começaram em março e desde então já recebeu 38 pacientes, moradores de Cantagalo, Porto Barreio e Rio Bonito do Iguaçu. Como o contrato é com a UTI Central de leitos, foi recebido também pacientes de Medianeira, Palmital e Pitanga.

No mês de abril estiveram internados na UTI 41 pacientes, sendo eles de Cantagalo, Marquinho, Nova Laranjeiras, Porto Barreio e Rio Bonito do Iguaçu. Já de fora da região, receberam pacientes de Guarapuava e Pitanga.

Em maio foram 39 pacientes internados, de Cantagalo, Laranjeiras, Nova Laranjeiras, Porto Barreio, Rio Bonito e Virmond. Fora da região foram recebidos pacientes de Curiúva, Foz do Iguaçu, Guarapuava, Irati, Pinhão e Pitanga.

Em junho foi somado o atendimento de 33 pacientes, de Cantagalo, Laranjeiras, Porto Barreio, Rio Bonito e Virmond. De fora foram recebidos pacientes de Guarapuava, Irati, Sengés, Pinhão, Inácio Martins, Piraí do Sul e Ponta Grossa.

Em 120 dias de atendimento, estiveram internados nos leitos de UTI, 151 pacientes em estado grave e que tiveram atendimento de uma equipe especializada sem sair da cidade.

Atendimento de hemodiálise

A enfermeira Hagatta, comentou que dos 151 pacientes que estiveram internados na UTI do Instituto, 15 precisaram fazer hemodiálise. “Isso é muito importante levando em conta que o Instituto é um dos únicos hospitais que possui diálise a beira leito na região. Até mesmo Guarapuava que é nossa referência, tem só em alguns hospitais essa diálise”.

Segundo a diretora, o Instituto São José, em parceria com a prefeitura, realizou um levantamento o qual apontou que mais de 40 pacientes da região vão ao menos três vezes na semana para Guarapuava fazer hemodiálise. “É um sofrimento muito grande para os pacientes, o primeiro que faz a hemodiálise precisa esperar o último, e eles saem de Laranjeiras as 4 horas, por isso a importância de realizar esse procedimento aqui”.

Ampliações na UTI

A diretora ainda destaca que já está em andamento na secretaria da Saúde (Sesa) um projeto com emenda da deputada federal Leandre Dal Ponte, para ampliação de mais 14 leitos na enfermaria SUS do Instituto. “Nossa perspectiva é de que em 2023 a gente consiga construir uma clínica de hemodiálise, através de parcerias com o Ministério da Saúde, a prefeitura é nossa parceira e auxiliará com certeza, e será um grande ganho para a região”.

Ainda de acordo com a diretora, com apenas um equipamento de hemodiálise no Instituto, já foram realizadas até quatro por dia. “Quando se fala em humanização, é trazer o serviço de saúde para perto do doente e não fazer o que muitas vezes, por falta de recurso de toda região, o paciente tenha que se deslocar até onde se encontra o serviço”.

Além disso, a diretora ainda informou que está prevista uma ampliação para a UTI, ela já habilitou o Instituto São José, embora com pendências, mas estabeleceu que o hospital tem seis meses para se adaptar a uma UTI geral com todas as especialidades. “Isso garantiria atendimento em especialidades como por exemplo, Neurologista, Bucomaxilofacial, Ortopedista, Cardiologista, com especialidade para atender o paciente a beira do leito”.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail