Entenda porque as doenças vasculares podem piorar no inverno

Especialista explica quando é necessário procurar atendimento médico

O inverno tem uma estreita relação com o nosso sistema vascular. A circulação do sangue ajuda a manter a nossa temperatura corporal. E para ajudar nessa manutenção, nos dias mais frios ocorre um estreitamento dos vasos, chamado de vasoconstrição, que afeta o fluxo sanguíneo para as extremidades do corpo.

O médico, Paulo Vinicius Baggio, angiologista e cirurgião vascular do Hospital São Vicente em Curitiba, alerta que em pacientes com a saúde vascular comprometida podem surgir algumas complicações. “Pessoas que têm doença arterial obstrutiva periférica, originada por um depósito de gordura nas artérias, estão entre as que devem ficar atentas. Os pacientes com essa doença têm fluxo sanguíneo arterial reduzido em decorrência de estreitamentos arteriais. Com o inverno e a vasoconstrição, que reduz ainda mais a circulação de sangue, piora o quadro”.

Sintomas

O principal sintoma é a denominada claudicação intermitente, que é o aparecimento de dores nas pernas ao caminhar, podendo fazer até a pessoa mancar. “Com o agravamento, as dores acontecem durante o repouso, sem que a pessoa esteja caminhando, ou aparecem lesões tróficas, feridas nas pontas dos dedos dos pés ou dorso do pé. Nesses casos é fundamental procurar um angiologista para o tratamento adequado”.

As baixas temperaturas

As temperaturas baixas ainda favorecem o surgimento do Fenômeno de Raynaud, termo utilizado para casos em que existe alguma outra doença associada, a mais comum é a esclerodermia ou também chamado de Doença de Raynaud, termo usado quando a causa é desconhecida.

Segundo o médico, pessoa tem uma redução de fluxo sanguíneo nas extremidades de mãos e pés, levando à isquemia, que é a falta de sangue. “Primeiro, as extremidades ficam pálidas (brancas), depois cianóticas (roxas) e por último, vermelhas (vasodilatadas), geralmente precipitadas pelo próprio frio, mas agravadas pelo contato com água fria ou alimentos gelados. Lembrando que o melhor tratamento é usar luvas, não mexer com água fria e evitar qualquer outra situação que esfrie as extremidades das mãos e pés. Se mesmo assim não houver melhora, é preciso consultar um angiologista”.

Ele explica que outro problema comum durante o inverno é o Livedo Reticular, uma alteração caracterizada pelo surgimento de linhas como se fossem uma teia, especialmente nas coxas, contudo não é algo preocupante. “É um fenômeno vasomotor muito comum nas consultas médicas, mas não requer tratamento, pois é apenas uma alteração vasomotora da pele”.

Prevenção de doenças vasculares

O médico ainda alerta que em qualquer época do ano, as doenças vasculares podem se manifestar, por isso é importante ficar atento aos sinais. “Pés e mãos frias, dor, cansaço e inchaço nas pernas, pele seca, sensação de formigamento, varizes e tornozelos inchados são os principais sintomas ligados a doenças vasculares”.

Para ajudar a prevenir, o cirurgião vascular esclarece que é fundamental evitar o tabagismo, ter uma alimentação mais saudável, praticar exercícios físicos e controlar a pressão arterial, a diabetes e os níveis de colesterol.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail